• Patologia Vocal…como prevenir?

    O que é a voz? 

    A voz é um som produzido através do ar que sai dos pulmões, passa pela laringe e faz vibrar as cordas vocais. Esse som é amplificado pelas cavidades de ressonância(faringe,cavidade oral e nasal) e modificado pelas estruturas articulatórias (lábios, bochechas, língua,palato e mandíbula), resultando nos sons da fala.

    É através da voz que expressamos sentimentos, emoções, ideias e pensamentos.

     

    Disfonia…

    É um distúrbio da comunicação caraterizado pela dificuldade de emissão vocal, que impede a produção natural da voz.

     

    Principais sintomas associados aos problemas de voz:

    – Esforço e cansaço a falar;

    – Dificuldades respiratórias, com ruído inspiratório e/ou expiratório e obstrução nasal;

    – Falhas ou perdas de voz;

    – Voz nasalada e abafada;

    – Voz rouca ou áspera;

    – Voz mais grave ou mais aguda do que antes;

    – Dor e/ou ardor na garganta;

    – Pigarro faríngeo (sensação de muco na garganta com necessidade de limpar);

    – Sensação de “bola na garganta”;

    – Dificuldade em engolir;

    – Azia.

     

    Prevenção…

    As patologias vocais têm origem em disfunções, abusos vocais ou mau uso da voz. Para que estas sejam prevenidas, existem comportamentos que se devem ter em conta, uma vez que os problemas de voz são mais frequentes nas pessoas que a usam de forma incorreta.

     

    Hábitos saudáveis…

    – Beber muita água para fazer uma boa hidratação (em média 2 litros de água por dia à temperatura ambiente)

    – Dormir bem

    – Ter uma alimentação saudavel e equilibrada

    – Tratar o refluxo gastro – esofágico e evitar alimentos ácidos e gordurosos

    – Fazer pausas de fala ao longo do dia

    – Poupar a voz durante crises alérgicas, estados gripais, rinites e sinusites

    – Beber alguns goles de água durante a atividade vocal intensa

    – Articular bem as palavras, para se fazer entender bem evitando abusos vocais

    – Manter o volume normal da voz

    – Cantar com conforto, sem esforçar a garganta

    – Manter uma postura corporal reta, mas relaxada

    – Usar roupa confortavel, para permitir um fluxo respiratório adequado e boa postura corporal

    – Usar máscara ou lenço para proteger as vias respiratórias durante o contacto com produtos agressivos ou tóxicos

    – Beber água regularmente em ambientes com ar condicionado

     

    Hábitos prejudiciais

    – Fazer jejuns prolongados ou abusos alimentares (principalmente antes de dormir)

    – Ingerir líquidos em temperaturas extremas (gelados ou muito quentes)

    – Consumir álcool em excesso, pois o seu efeito anestésico propicia o abuso vocal

    – Fumar, porque isso irrita a mucosa da laringe, seca-a e favorece o acumular de secreções

    – Falar em excesso, por longos períodos de tempo, sem pausas regulares nem hidratação adequada

    – Falar em ambientes ruidosos, com competição sonora

    – Falar em ambientes poluídos, com cheiros fortes, produtos tóxicos ou outros agentes poluentes

    – Forçar a voz, usando um tom não habitual

    – Gritar ou sussurrar, pois ambos os comportamentos são esforços excessivos

    – Imitar sons, com grande esforço vocal

    – Cantar sem técnica, em registos não adequados

    – Tossir com violência e pigarrear, pois são causadores de grande atrito nas cordas vocais

    – Frequentar ambientes com ar condicionado, pois estes fazem com que as mucosas sequem, originando maior esforço e tensão vocal

    – Abusar de sprays e pastilhas para a garganta sem receita médica. Estes produtos não tratam as lesões mais graves e anestesiam as mucosas, levando a uma maior ocorrência de abusos vocais

    – Falar enquanto faz exercício físico

    – Obesidade e ausência de exercício físico

     

    Patologias vocais mais comuns

    Laringite (inflamação da laringe, causa inchaço nas cordas vocais)

    Nódulo (espécie de calosidade na zona de contacto entre as duas cordas vocais)

    Pólipo (crescimento anormal do tecido, numa das cordas vocais)

    Quisto (pequenas “bolsas” no interior da corda vocal)

    Exemplos de patologias vocais

     O tratamento dos problemas vocais pode ser efetuado com terapia da fala, medicação adequada, cirurgia ou uma combinação dos três.

    Um diagnóstico atempado aumenta a probabilidade de resolução do problema sem necessidade de cirurgia.

     

    ATENÇÃO: Se a disfonia persistir por mais de 15 dias, procure ajuda médica (otorrinolaringologia) e/ou terapeuta da fala.

    Uma intervenção especializada e atempada é importante na prevenção de problemas laríngeos graves.

Deixe Um Comentário

Cancelar Resposta