• Redução Tabágica na Clínica Médica

    Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a pandemia do tabagismo foi responsável pela morte de 100 milhões de pessoas no século XX. Se não for controlada, poderá vir a matar mil milhões, ao longo do presente século (WHO, 2008).

    Fumar é a primeira causa evitável de doença, incapacidade e morte prematura nos países mais desenvolvidos, contribuindo para seis das oito primeiras causas de morte a nível mundial (WHO, 2008). Para além do pesado impacto na mortalidade, fumar contribui para a incapacidade e retira de anos de vida saudável. Nos homens, fumar é o principal fator comportamental de perda de anos de vida saudável. Nas mulheres, que têm apresentado prevalências de consumo inferiores às do sexo masculino, fumar surge como a 9.ª causa de perda de anos de vida com saúde, de entre um conjunto alargado de fatores de risco.

    Os fumadores têm, em média, menos dez anos de vida do que os não fumadores, pois as substâncias do fumo do tabaco afetam alguns órgãos importantes, ao mesmo tempo que tornam o organismo mais frágil em relação a uma série de doenças. Assim, o tabaco é responsável por:

    • 25 a 30% da totalidade dos cancros — incluindo cancro do aparelho respiratório superior (lábio, língua, boca, faringe e laringe);
    • 80% dos casos de doença pulmonar crónica obstrutiva;
    • 75 a 80% dos casos de bronquite crónica;
    • 90% dos casos de cancro do pulmão;
    • 20% da mortalidade por doença coronária.

    Ao deixar de fumar:

    Após 20 minutos: A pressão arterial e o ritmo da pulsação voltam ao normal.

    Após 8 horas: Os níveis de nicotina e monóxido de carbono no sangue diminuem em 50% e o oxigénio sobe para valores normais.

    Após 48 horas: A tensão arterial é estabilizada e o paladar melhora.

    Após 72 horas: Os brônquios descontraem-se, a respiração solta-se e a pele torna-se mais luminosa.

    Após 2-12 semanas: A circulação melhora significativamente e caminhar torna-se menos cansativo

    Após 6-9 meses: Sente um aumento gradual do bem-estar geral, acompanhado de mais vitalidade.

    Após 5 anos: O risco de cancro da boca e do esófago reduz-se para metade.

    Após 10 anos: Corre 50 % menos risco de ter um cancro do pulmão do que um fumador.

    Após 15 anos: O risco de doença cardiovascular é semelhante ao de uma pessoa não fumadora, do seu sexo e idade.

    Não são ainda de desconsiderar outras vantagens resultantes da cessação tabágica, tais como os económicos, os sensoriais, os estéticos e a melhoria da autoestima.

    No entanto, e é importante referir, conseguir deixar de fumar deve ser um objetivo pessoal, em benefício da vida saudável e da longevidade com qualidade de vida.

    Na sua Clínica Médica disponibilizamos uma consulta especializada para ajudá-lo neste percurso, a Consulta de Redução Tabágica. As consultas são feitas de forma individualizada, onde, independentemente da situação clínica, serão abordados os seguintes aspetos:

    Grafico I

    Para fazer marcação de consulta de Redução Tabágica entre em contacto connosco!

     

    Joana Esteves

    Mestre em Psicologia Clínica e da Saúde

    Membro Efetivo da Ordem dos Psicólogos (C.P nº21068)

Deixe Um Comentário

Cancelar Resposta